Mentoria de Carreira

Planejamento de Carreira: alinhando a sua jornada

Qual a sua ideia sobre planejamento de carreira? 

Independente do momento em que você se encontra em sua trajetória profissional, pensar em termos de carreira faz toda diferença. 

Quando você planeja, você se percebe construindo um projeto profissional maior percorrendo o seu mapa de sucesso, ao contrário de perceber-se apenas executando as demandas do dia a dia.

Este artigo é sobre ações que podem mudar sua visão sobre carreira e sobre como cultivar esse olhar sobre suas escolhas.

Conectando os pontos

Em seu discurso icônico de 2005, Steve Jobs fala para os estudantes de Stanford: “É claro que era impossível conectar os pontos quando eu estava na faculdade. Mas era muito, muito claro, olhando para trás dez anos depois…”

Em outras palavras, ele conta que,quando estudante, estava fazendo coisas sem planejar. Porém, percebeu o sentido de seus aprendizados quando uniu esses pontos uma década mais tarde.. 

Esse é um dos primeiros e mais importantes exercícios de Planejamento de Carreira. Por certo, devido a tantas transformações nas formas de atuar no mercado de trabalho, bem como o conhecimento interdisciplinar.

A pergunta que devemos nos fazer é como nossas áreas de aprendizado e nossas experiências profissionais estão interligadas. Como podemos transformá-las em empreendimentos  próprios ou em oportunidades no mercado de trabalho?

Muitas vezes, são seus passatempos, suas artes, seu olhar mais curioso que traz  protagonismo para sua carreira. 

No caso de Jobs, um simples curso de caligrafia impactou no desenvolvimento de peças que hoje estão entre os designs mais desejados do mundo, como, de fato, é o caso da maioria dos dispositivos da Apple.

Esses pontos de conexão também incluem conhecimentos técnicos e experiências de vida. Com frequência, profissionais renomados em uma determinada função se veem diante da necessidade de migrar para novas áreas, dessa forma complementando ou expandindo seus conhecimentos com novas possibilidades.

Por certo, a base de tudo é saber costurar a relação entre esses conhecimentos de maneira a fazer sentido em sua jornada..

Podemos fazer isso intuitivamente e esperar até que tenhamos os insights necessários ou, em contrapartida, podemos aprender sobre isso,com mentorias especializadas.

O Encontro com o Mentor 

A jornada do herói,tão usada pelo mercado para construir narrativas de organizações e experiências de produtos, em seus 12 passos, inclui o encontro com o mentor. A saber, essa é uma parte propulsora da travessia para o desfecho da história.

Analogamente, é na ajuda externa que se obtém subsídios técnicos para desenvolver um olhar autônomo para a carreira com a autorresponsabilidade de construir a própria jornada.

Mais que isso, o papel do mentor contempla aprofundar conhecimentos técnicos, como sobre os perfis comportamentais,por exemplo, a fim de direcionar as escolhas para seus interesses mais genuínos, para aquilo que inspira e motiva a jornada..

Nesse sentido, a mentoria ajuda a perceber a diferença entre emprego e carreira, bem como aprofunda o olhar quanto aos prós e contras de cada decisão. Inegavelmente, os passos da jornada do herói envolvem provas, aliados, inimigos e, com certeza, elementos para serem avaliados. 

Nem sempre estamos diante de situações ganha-ganha, precisamos ponderar para escolher.

Acertar no planejamento de carreira requer uma lista de ações. Essa construção vai desde definir nossos propósitos até aprender a divertir-se e reconhecer nossos sucessos, entre outras, como os passos listados abaixo:

  • Ter clareza de propósito 
  • Identificar competências
  • Desenvolver-se tecnicamente
  • Desenvolver habilidades sociais
  • Espelhar-se em seus modelos
  • Potencializar competências
  • Alimentar rede de contatos
  • Apoiar e ser apoiado
  • Divertir-se na jornada
  • Reconhecer seus sucessos 

Em síntese, a mentoria direciona o planejamento de carreira com base em  ferramentas técnicas que treinam seu conhecimento para as constantes decisões e revisões que a construção de vida profissional demanda.

Invista em desenvolver sua autonomia e a adicionar as ações necessárias para sua lista a fim de seguir o caminho de seus interesses mais genuínos.

Planejamento de Carreira e Perfil Comportamental 

Conhecer seu perfil comportamental, ter clareza sobre seus propósitos e interesses são os elementos principais para colocar-se da melhor maneira diante das oportunidades de trabalho e construir uma jornada alinhada com seus propósitos.

Para cada situação nova, cada desejo de mudança, você precisa estar preparado para revisar suas razões, afinar-se com o que está mais de acordo com suas potencialidades e vivenciar seus interesses.

Na Gente Genuína, essa é a principal construção, olhar a carreira como um todo, individualmente e nas organizações.

O mapeamento de perfil comportamental é nossa principal subsidiou para contribuir com o alinhamento de sua jornada. 

Esse é nosso convite.

Perfil Comportamental, afinal o que é?

Perfil Comportamental, afinal o que é?

Mesmo sem saber o que é um perfil comportamental, você certamente já deve ter parado para pensar em diferentes tipos de pessoas e diferentes tipos de comportamentos. 

Quando nos referimos a alguém, costumamos atribuir qualidades a esta pessoa, falamos que é expansiva, fechada, quieta, inteligente. A princípio, tendemos a formar uma opinião sempre que conhecemos, convivemos, trabalhamos com alguém.

Com toda a certeza, você deve ter se questionado – inúmeras vezes – sobre a forma de agir ou reagir das pessoas (e mesmo as suas) diante das situações cotidianas. É possível que, em algum momento, tenha categorizado semelhanças entre essas ações e reações, mesmo que inconscientemente.

Isso quer dizer que tendemos a ir naturalmente identificando padrões a respeito das atitudes das pessoas. Registramos que as mais expansivas falam mais alto e se expõem mais, as introvertidas tendem a falar pouco e assim por diante. Esses padrões são, de alguma forma, tendências de comportamento que registramos.

Comportamento: ficar na mera impressão ou escolher como agir?

Essas percepções sobre formas de agir, em geral, são baseadas apenas em nossas impressões, que naturalmente usamos para compreender nosso comportamento e dos outros. 

Nessas pequenas análises diárias, nos surpreendemos quando percebemos que uma pessoa reservada tomou uma atitude de presença, ou ao contrário, a comunicativa agiu de forma mais reservada. Mesmo sem querer, registramos as pessoas mudam de atitude dependendo da situação em que se encontram.

Quem nunca se pegou falando “como o fulano/fulana estava quieto/a hoje”?

Mas isso é mera impressão!

Isso quer dizer, temos certas tendências de comportamento, nos adaptamos e agimos de formas diferentes, ajustamos nossa forma de agir de acordo com nossas necessidades e com os diferentes momentos de nossas vidas. 

Mai que isso, quer dizer que podemos desenvolver habilidades comportamentais que não tínhamos, podemos adotar atitudes conscientes e, de fato, escolher como agir.

Personalidade e comportamento: as rotas para a sua trajetória!

Quando falamos em comportamento, não estamos falando de personalidade. Naturalmente, a personalidade influencia o comportamento e vice-versa, mas são duas coisas diferentes. 

A personalidade é, resumidamente, formada pelas características individuais de cada um, ou seja, a forma de agir, de pensar e de sentir, alicerçadas em valores morais e traços emocionais, entre outros aspectos. Esse conjunto de elementos é o que torna o indivíduo um ser único e ao mesmo tempo complexo perante o contexto em que se vive.

Já o comportamento diz respeito à maneira como a pessoa se comporta e reage perante esse meio. Quando expomos nossa ‘personalidade’ a situações e estímulos, nos ‘comportamos’ de uma forma ou de outra, respondendo a estes eventos.

Dependendo de como reagimos, nosso comportamento tanto pode nos ajudar quanto nos prejudicar, impactando em nossas vidas tanto no âmbito pessoal como profissional.

Além disso, somos capazes de modificar nossos comportamentos ao longo de nossas trajetórias, pois o comportamento, assim como a personalidade, é formado pelas experiências e percepções vivenciadas. 

Sendo assim, nossa interpretação em relação a uma situação pode ser de um jeito em uma determinada época e mudar em outro momento. Uma tendência de comportamento que não nos era comum, pode passar  a ser parte de nós. A escolha por mudanças conscientes perpassa o conhecimento sobre comportamento com base em informações precisas.

Perfil comportamental: mapeamento, análise e as mudanças que você quer!

À medida que experimentamos a vida, a tendência é irmos fazendo mudanças em nossa forma de agir, algumas pessoas tendem a mudar mais, outras menos. Mas se essa formação de nosso comportamento é mutável, por que não trabalhar de forma consciente?

Quando falamos em perfil comportamental, o mapeamento, as análises e as mudanças possíveis, estamos falando de todas as percepções comentadas acima, porém baseadas em estudos científicos, em metodologias que aprofundam o estudo do comportamento humano com base em observações técnicas e sistematizadas.  

Da mesma forma que buscamos conhecimento técnico para cuidar de nosso físico, com a medicina, a nutrição e a educação física, podemos trabalhar nossa forma de agir com a gestão de comportamento. 

Uma metodologia que dá base para a análise de perfil comportamental foi a criada a partir dos estudos de William Marston, PhD em Psicologia pela Universidade de Harvard. O teórico dividiu os padrões comportamentais em 4 grandes tipos de tendências, descritas em inglês como: dominance (dominância), influence (influência), steadiness (estabilidade) e conscientiousness (cautela/conformidade).

Vale ressaltar que não somos um perfil isolado, somos uma combinação de perfis. Não há perfil mais ou menos eficaz. Todos os perfis têm pontos fortes e limitações.” 

~ Priscylla Silveira

Desse modo, ao conhecer um perfil comportamental, suas possibilidades de mapeamento e análise, estamos falando em observar respostas com base em uma fundamentação teórica. Saímos da mera opinião que temos a respeito das pessoas e mesmo de nossas ações para identificar tendências levando em conta preceitos técnicos. 

Assim, temos a possibilidade de tomar decisões e fazer escolhas mais acertadas, tanto para nossa vida pessoal quanto profissional. Vamos?