Perfil influente como tendência de comportamento

O perfil comportamental influente é o do comunicador.

Como já falamos aqui, segundo a teoria DISC, usada para mapeamento de perfil comportamental, as tendências de comportamento podem ser divididas em 4 grandes perfis: perfil da dominância, perfil da influência, perfil da estabilidade e perfil da conformidade.

Nesse artigo, vamos contar em detalhes como é o jeito influente de ser. 

Olá sou influente, vamos conversar?

A tendência influente é a ‘boa de papo’. Essa dimensão de comportamento se manifesta toda vez que somos sociáveis e descontraídos. É quando bate aquela vontade de sair, chamar as pessoas amigas, viver e divertir-se. Esse é nosso perfil influente em ação.

O estilo dessa turma é juntar as pessoas, relacionar-se e movimentar-se no meio social. É o/a colega que sempre convida para uma ‘esticada’ após o trabalho, as pessoas que preferem conviver ao invés de voltar correndo para casa depois de um dia cheio.

O perfil influente gosta de brilhar e ser visto.

Mas, sempre lembrando, ao falar de perfil comportamental,  não nos referimos apenas ao jeito de ser de uma pessoa. Cada um de nós tem um pouco de cada perfil, em porcentagem maior ou menor. Somos composições de perfis.

Você já se perguntou onde está seu traço mais sociável?

Por exemplo, você é quieto/a, não fala muito, mas quando faz uma apresentação, você  arrasa na comunicação. Certeza que tem uma boa porcentagem de influente em seu perfil. 

Por outro lado, quando a influência é predominante,  o gosto por falar e comunicar-se é quase permanente, é tudo muito natural. Não é preciso esperar polo dia da apresentação. A turma da influência costuma ser expressiva, contagiante e ‘latente’ e seus projetos envolvem outras pessoas.

Enquanto para uns e outros a sociabilidade pode ser desconfortável,  para os influentes ela  é necessária.  Por essa razão, esse perfil busca consenso e empatia e sua capacidade de persuadir gira em  torno de um objetivo comum. 

Vem comigo? Conta comigo!

As pessoas com predominância do influente sentem necessidade de serem reconhecidas socialmente. Elas gostam de ter prestígio social e não se intimidam quando são admiradas e bem quistas.

Pelo contrário, agem de forma a atrair olhares e serem valorizadas pelos outros. Por isso, o perfil influente também está associado às características de liderança.

Para começar, esse perfil tende a ser aglutinador. Isso resulta em uma tendência nata para liderar, pois conseguem influenciar e mobilizar equipes em torno de um objetivo comum. Como são afetuosos, amáveis e compassivos, conquistam seguidores, até porque sabem dar atenção ao relacionar-se. 

Assim, o perfil influente tende a navegar pela liderança com naturalidade. 

No entanto, é possível encontrar um tanto de impulsividade e inconstância no percurso dessa turma. Quando tendemos a agir de modo a ter aprovação de outros, corremos o risco de perder o foco e viver lidando com imprevistos. 

Ainda que esse seja um talento nato valorizado em qualquer ambiente de trabalho, melhor não virar regra. 

Influência a qualquer preço

Sim, todos os perfis têm seus excessos. Na trajetória dos influentes, isso pode levar a uma vida de administrar crises, desde as mais simples, como cumprir horário ou terminar uma tarefa a tempo, até as mais complexas como boicotar um projeto por não fazer parte, ou por não receber a atenção necessária. Quer dizer, pela falta de influência.

É imaturidade que se diz?

Por certo, o perfil influente é emotivo. Nesse caso, as emoções não são as mais estáveis. O perfil influente é mais volátil, por assim dizer, pois se adapta com facilidade. Acontece com quem se relaciona, sim?

Por isso, influentes podem apresentar um certo grau de imaturidade toda vez que não são chamados para a ‘festa’ ou quando a ‘festa’ não foi a que organizaram. 

Influentes querem fazer parte, se ficarem de fora, podem retaliar. Esse é um excesso para ser trabalhado. O poder para influenciar a favor ou contra pode causar danos significativos em qualquer tipo de projeto, no sentido que o influente valide apenas as próprias ações e impeça que as dos outros ganhem corpo. 

Nesse caso, temos um falso senso de equipe, um poder de comunicar-se e persuadir capaz de criar mais conflitos que soluções. 

Esse é um ponto importante para se avaliar, tanto para quem procura colaboradores com perfil influente, quanto para quem tem a predominância desse perfil. Ou seja, a pessoa pode fazer escolhas bem erradas simplesmente por não se sentir no papel influente em um determinado momento. 

A chave é saber conviver com momentos de não influência. São ciclos de aprendizados que ocorrem em todas as dimensões de perfil. Assim crescemos como pessoas e como profissionais..

Não dá para viver sem

Mas é fato, não vivemos sem o perfil da influência. 

Como muito se fala no ambiente corporativo, o ideal cultural do nosso tempo é o da extroversão e do culto à personalidade. Então, não dá para viver sem uma boa dose de perfil influente.

E mais, quem não tem seu ‘influenciador’ preferido?

Quem não ama aquele/a amigo/a que volta e meia está armando alguma coisa, chamando você para fazer parte um projeto, trabalho ou evento social.

Você sabe o quanto é necessário, ou  porque você é essa pessoa, ou porque você tem alguém que influencia você. 

Para quem se vê no papel de influenciador, a gente diria, bom trabalho! 

Só não esqueça: nem tudo é sobre a atenção que você recebe dos outros.

Para quem não se vê nesse lugar, nossa dica é identificar quando e como seu influente se manifesta. Fique atento/a,  aprenda a comunicar seu ponto de vista e faça suas escolhas, inclusive escolha bem seus influenciadores.  

Para onde suas influências estão levando você?