Tech Recruiters Gente Genuína

Tech Recruiter: os dois lados da moeda.

A gente sabe que tecnologia e desenvolvimento de sistemas é o segmento que mais cresce no mercado atual. Com a transformação digital, praticamente todos os setores da economia precisam de novas tecnologias para gerir suas atividades.

Nesse contexto, onde as mudanças são cada vez mais rápidas, organizações, líderes e colaboradores buscam espaços para atuar, desenvolver-se e expandir.

Promovendo esses encontros, estão os/as  tech recruiters,  recrutadores que operam processos de seleção dentro das empresas de tecnologia. A tarefa é contratar profissionais com conhecimento de causa e habilidades necessárias para executar projetos com soluções inovadoras. 

Qual o maior desafio?

A gestão de competências. Isso quer dizer, não apenas encontrar profissionais com  competência técnica, mas com competências comportamentais alinhadas às demandas da organização. Da mesma forma, oferecer a tais profissionais competências organizacionais que atendam seus propósitos.

Então vamos falar sobre os dois lados dessa moeda e sobre como os/as tech recruiters estão no centro desse círculo chamado gestão comportamental.

Lado da competência comportamental 

Toda vez que os sistemas de uma organização se movimentam, para uma direção ou outra, a formação das equipes tende a movimentar-se também. É provável que as mudanças demandem recrutamentos, recolocações e alocações de colaboradores, bem como novos processos de aprendizado e treinamentos de equipe. 

Na ponta desse processo estão os/as  tech recruiters , às vezes frágeis diante da importância dessas novas composições, pois selecionam profissionais de alto desempenho com papéis fundamentais nos sistemas de gestão organizacional.

Tal qual outras novas especialidades em startups e empresas de tecnologia, os/as tech recruiters estão em formação, expandindo e buscando possibilidades de aperfeiçoamento para suas funções.

Em geral, esses profissionais são analistas de recrutamento e seleção, mas carecem de um suporte aprofundado que lhes dê mais propriedade em identificar perfis comportamentais. 

Enquanto as competências técnicas são facilmente identificadas, pois envolvem apenas o descritivo do cargo e linguagens específicas de programação, as competências comportamentais tendem a ser feitas com base em presunções. 

Uma análise mais profunda demanda profissionais com qualificações específicas, como a de psicólogo organizacional, por exemplo. Sem essa especificidade, o resultado é a falta de clareza de propósitos na avaliação de comportamentos.

Essa é uma das soluções da Gente Genuína, a parceria na aplicação de recursos técnicos para auxiliar o/a tech recruiter. O trabalho é entender a formação de equipes e a necessidade de complementaridade que se dá através do recrutamento.

As análises comportamentais são elaboradas a partir de ferramentas e métricas confiáveis e trazem resultados mais efetivos, bem como refletem na qualidade das competências organizacionais.

Lado da competência organizacional

Esse movimento de conhecer o mapa comportamental através de uma parceria, oferece  também a possibilidade de olhar e diagnosticar elementos da cultura organizacional.

Através de uma percepção neutra, as análises comportamentais são capazes de apontar dores e forças e verificar com mais propriedade as necessidades das equipes e consequentemente melhorar as competências organizacionais. 

O mapeamento entra como uma solução tecnológica, embasando as tomadas de decisão. 

Nesse caso, a gestão comportamental ajuda também a identificar e melhorar pontos fortes e fracos das competências organizacionais, uma vez que estão atreladas à qualidade da gestão comportamental e/ou gestão de pessoas.

Como tech recruiter, o profissional recrutador, então, vai ser responsável por apresentar a empresa para novos talentos. Por isso, conhecer o mapa comportamental da empresa é parte do processo seletivo, de modo que todo o processo é construído com clareza, evitando  prejuízos, desencantamento, frustrações posteriores e a consequente rotatividade de pessoal.

Ademais, o conhecimento técnico a respeito de competências comportamentais, bem como  competências organizacionais fornece subsídios para recrutar e formar times mais alinhados e satisfeitos com suas funções. 

Nesse lado da moeda, da competência organizacional os/as tech recruiters são responsáveis por apresentar as qualidades da organização aos profissionais, elencando pontos tais como gestão humanizada, atenção ao desenvolvimento pessoal e profissional, ambiente de trabalho saudável e clima organizacional favorável.

Um time é composto de vários lados e bons resultados vêm quando todos estes lados são visíveis. O papel dos/as  tech recruiters é levar essas informações para seus processos de seleção de forma clara e precisa. O papel da organização é oferecer subsídios para seus recrutadores. 

Dica tech recruiter

Um bom jogo sempre começa por uma equipe bem montada, dedicada e com papéis claros e bem definidos. Quando isso acontece, todo mundo acaba, além de jogar bem, se divertindo. 

Nosso convite é sempre para você fazer parte desse mapa com o Gente Genuína.

Deixe seu comentário e nos conte como isso tudo acontece na sua tech.

Deixe um comentário